DESTRA E SINISTRA!

Anos atrás, surgiu uma oportunidade pra eu fazer uma viagem que seria, até hoje, uma
das mais inesquecíveis da minha vida.

O destino? Itália. Procurei uma amiga, que é professora de italiano, para buscar
orientações. Ela me disse que uma semana era muito pouco para me ensinar o
idioma, mas me daria dicas de como se comportar na Europa.

Nós, brasileiros, somos malvistos devido ao nosso jeito informal, explicou ela. Ao
pedir uma informação, sempre cumprimente desejando um bom dia, boa tarde ou boa
noite, no idioma local. Nunca chame a pessoa de você. Será sempre senhor,
senhora ou senhorita, seguido de por favor. E depois, mesmo que você fale em
português, eles se empenharão em te ajudar. E o principal: jamais toque em
ninguém. Essa coisa de tapinhas nas costas, cutucar, segurar ou encostar no
braço de uma pessoa, pode ser interpretado muito mal. Combinado?

Prestei atenção em tudo direitinho. Eu, a rainha dos foras, nunca faria nada disso.
Longe de mim, pensei.

Ao chegar em Milão, depois de me hospedar em um hotel, quis sair logo a passeio
pela cidade.

Mas uma amiga, que tinha ido comigo nessa mesma viagem, não podendo me acompanhar dessa
vez no passeio, pediu que eu comprasse uns acessórios de moda que havia
esquecido de trazer na mala. Tudo bem, pensei, deve ser simples.

Loja de departamentos na Itália se chama magazzino. É só perguntar pra alguém, fácil,
fácil….

Me dirigi para o centro turístico de Milão, bem em frente ao Duomo, perto da entrada da Galeria Vittorio Emanuele e com vista ao longe para o Castelo Sforzesco. Ao passar um senhor muito elegante, me dirigi a ele educadamente, como minha mestra de italiano havia me ensinado: -Signore, buongiorno, per favore, dov’è si trova un grande magazzino? Ele me encarou, olhando diretamente em meus olhos com ar dramático e agarrou meu punho direito, chacoalhando a minha mão e berrando como seu eu fosse surda: – DESTRA! Automaticamente, eu agarrei seu pulso esquerdo e chacoalhei como louca, gritando: – SINISTRA!

 

E assim, depois de rirmos muito, muito mesmo, ele me indicou entre destras e sinistras (direitas e esquerdas), como eu faria pra chegar ao grande magazzino.

COMPARTILHE ESTE ARTIGO:
CÉLIA ARAÚJO

Redatora publicitária. Se formou em letras e fez pós graduação em publicidade na Cásper Líbero. Na criação conquistou: Prêmio Colunistas, Prêmio Anuário de Criação, Voto Popular About e Festvídeo em 2018 com dois filmes nas categorias: animação e órgãos públicos. Adora escrever, assistir filmes, visitar exposições e viajar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.