Tem gente que diz que só Jesus salva. Sim, pode ser, dependendo do que cada um acredita. Outros acham que a música salva e salva mesmo. Ahhh como salva.

Mas o que também me salva, e talvez alguns de vocês, é a poesia.

A poesia é uma das sete artes clássicas: arquitetura, escultura, pintura, música, literatura (e é aqui que está a poesia), dança e música. A poesia possui diversos gêneros, é composta por versos livres ou rimados, que podem ou não seguir uma métrica. Mas o que importa mesmo é o que ela causa, o que é capaz de fazer com os nossos sentidos.Se arrepia, se faz chorar, se te leva para algum lugar, se toca o coração e a alma. E nesses tempos em que estamos mais sensíveis, à procura de significados e alento, a poesia pode ajudar o dia a passar mais leve. Sem muita pretensão, vou dividir algumas minhas aqui com vocês. Peço que não reparem, afinal são simples expressões de experiências e sentimentos que de fato eu vivi.

Ia escrever Esqueci O banho acabou A chaleira apitou A TV desligou A ideia perdi Passarinho passou No banho cantou Me deu um beijo E voou Que burra! Como pude perder uma poesia assim?

 

ESQUEÇA

Esqueça os cafés das manhãs.

Os almoços escondidos.

Os SMSs disfarçados.

O código do amor.

Esqueça as noites em claro

que esclareciam tão bem

o que nem precisávamos dizer.

Esqueça as músicas.

Esqueça que só Deus sabe o que seria de mim sem você.

God only knows.

Esqueça as loucuras de amor

que por mais bregas que fossem,

eram lindas e da mais pura sanidade.

Esqueça promessas de viagens e desejos nunca antes compartilhados.

Esqueça o mar no céu

e até a sensação de quase overdose

após o amor – melhor que qualquer droga.

Esqueça os pés gelados encaixados nos seus.

Esqueça o choro.

A língua.

O olhar.

A textura.

O toque.

A dormência.

Esqueça que tudo acontecia.

Simplesmente como mágica, acontecia.

Esqueça que era para ser.

Esqueça que deu certo.

 

A AUSÊNCIA DE VOCÊ

A ausência da tua mão na minha nuca,

do teu beijo na dobra do joelho.

A falta da tua presença nas manhãs de sábado,

justo na hora da panqueca doce.

A despresença do seu corpo marcante.

O som do silêncio que você deixou.

O olhar de vazio.

E essa ausência tua que preenche meus dias.

 

INQUIETANTE

Percebo que

me conheço a cada dia

A cada nova emoção

Sou mutante

Alma

Coração

E me entrego

à sensação de ser

E ser mais

a cada instante

Inquietante

É isso. Um pouco de mim para contribuir com esse período de incertezas. Espero que tenham gostado e, quiçá, salve o dia de alguém.

COMPARTILHE ESTE ARTIGO:
ANDREA BUCCI

Diretora de Criação e redatora na Área Comunicação. Apaixonada pelas letras, escreveu um livro de poesias e um livro de minicontos. Nos seus mais de 20 anos trabalhando com publicidade, ganhou prêmios como: Prêmio Profissionais do Ano da Rede Globo, Prêmio ShowUp - Meio&Mensagem, Prêmio Voto Popular da Revista About, Fest Video APP, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.