Jota R Pereira

O QUE HÁ DE ERRADO NO MUNDO?

Vivemos em um planeta que parece não fazer sentido e estamos passando, talvez, pela maior crise depois da segunda grande guerra. Eu pelo menos nunca tinha visto nada igual a essa loucura que virou o mundo com a chegada da pandemia.

A vida virou de cabeça pra baixo, nos isolamos em nossas casas e o medo tomou conta das nossas vidas. Muitos, infelizmente, não resistiram. As perdas são tão grandes que nos fazem questionar como o mundo vai ficar depois que isso passar. Será um mundo pior? Teremos um ser humano ainda mais egoísta e centrado em si mesmo? Ou podemos começar um mundo melhor a partir do caos? A resposta sempre estará em nós mesmos, nas escolhas que vamos fazer a partir do que nos é dado.

Mas o que podemos fazer diante de tamanho estrago? Quem somos nós para mudar alguma coisa? Me lembro de alguém dizer que “a mudança é o resultado de milhões de pequenos atos que aparentemente parecem insignificantes”. Talvez não possamos fazer nada para acabar com a fome no mundo, mas com certeza podemos fazer algo para melhorar a vida da pessoa que passou na nossa frente, que bateu à nossa porta pedindo algum tipo de ajuda. Podemos fazer uma doação ou ligar para um amigo e oferecer apoio.

Não existe essa coisa de dizer que é pouco ou que isso não é nada. Não existe ato pequeno. A forma como olhamos nosso colega, como abraçamos nosso filho ou o respeito com que atendemos uma pessoa, faz a diferença. Cada pequena coisa importa. Todos trazemos dentro de nós um poder que desconhecemos e não exercemos. Esse poder, manifestado com paixão, contagia quem está à sua volta e pode mobilizar milhares. Pertencemos todos a um mesmo organismo vivo, chamado planeta Terra. Não importa se você gosta ou não do seu vizinho, ele também faz parte e influencia o mundo ao seu redor. Todas as coisas e seres estão interconectados e não faz sentido algum nos tratarmos como seres humanos diferentes e separados. No final das contas, somos todos um só.

Pode soar utópico e até ingênuo, muitos mestres já nos disseram isso, mas nunca levamos a sério. Só existe um jeito, uma saída para essa loucura: o amor. Ele é a chave mestra que muda todas as coisas. Já tentamos de tudo em mais de 100 mil anos de humanidade, mas nunca tentamos de verdade a tolerância e o amor ao próximo, nunca tentamos viver em paz e amar quem pensa diferente.

Quando o jornal London Times pediu ao escritor e dramaturgo inglês G. K. Chesterson, que entrasse em um concurso de redação e respondesse à pergunta “o que há de errado no mundo”, ele escreveu:

Caros senhores… Eu“.

Essa pandemia talvez tenha nos dado a chance de repensarmos a vida e de não sermos mais o problema. E sim a solução.

Esse texto foi inspirado no filme “I am” do escritor e diretor Tom Shadyac, disponível na Netflix.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *